Make your own free website on Tripod.com
Jornal nº 0007 - Ano I - Março/2003

Impossível viver sem elas...

Creio que os homens, às vezes, se fazem de cegos. Mas por mais independentes, versáteis ou (no fundo) arrogantes, temos que admitir: não somos nada sem as mulheres. Prá falar a verdade, nem nascer, conseguiríamos. Temos um exército de mulheres que nos ajudam a crescer, amadurecer, nos tornar homens. Mãe, tias, avós, esposa (no meu caso), mulheres com quem convivemos e aprendemos a viver.

Jesus foi um homem incomum no seu tempo. Ele soube valorizar as mulheres. Prá ele não havia 8 de Março, Dia Internacional da Mulher. Ele as abençoava todos os dias, sem parar. Ele as tratava de forma diferente do padrão de sua época. Ele se assentava para conversar e ouvir de seus problemas (Jo 4:27). Ele as ensinava, ainda que não fosse comum as mulheres serem ensinadas na Escritura pela tradição judaica (Lc 10:39); Jesus, também, não teme colocá-las em pé de igualdade com o sexo masculino no que diz respeito ao pecado, arrependimento e perdão (Jo 8:1-11); mulheres o seguiram e o serviram com seus bens (Lc 8:1-3).

Seus discípulos parecem ter aprendido a lição. As mulheres foram fundamentais no início da igreja. Encontramos mulheres abrindo seus lares e usando seus dons, cooperando assim com a implantação do Evangelho no mundo. Priscila ensinava (At 18:26); Febe era diaconisa (Rm 16:1); Evódia e Síntique cooperaram com a implantação da Igreja de Filipos (Fp 4:2,3); Lídia parece ter sido a líder deste trabalho, além de ter cedido sua casa para iniciá-lo. Só em Romanos 16 encontramos a menção de dez mulheres às quais Paulo chama de cooperadoras suas no Evangelho, mesmo termo usado por ele várias vezes para referir-se a homens. Nos séculos II e III mulheres como Perpétua e Blandina tornaram-se mártires na contribuição da expansão do Reino, pregando e declarando seu amor a Jesus. Em toda a vida da igreja, até hoje, vemos mulheres sendo canal de bênção.

Em tempos mais próximos (século XIX), através das missões Americanas, as mulheres passam a ter um papel fundamental na expansão do Reino de Deus. Por meio de Sociedades Missionárias criadas e dirigidas por elas, incentivaram e promoveram a educação feminina, apoiaram campos e missionários em oração, contribuição e até mesmo indo aos campos, embora ainda muito timidamente. Por volta de 1930 mais de 60% dos missionários enviados aos campos eram mulheres. Entre os que íam e permanecíam está a grande maioria de mulheres, também. Não poderia deixar de mencionar também as mulheres de missionários, que de forma submissa, acompanhavam, apoiavam e lutavam com seus maridos, de forma humilde e sem alarde.

Hoje, vamos dar o braço a torcer: aquelas a quem Deus nos dá como companheiras são totalmente necessárias para não só dar sentido às nossas vidas, mas para servir como fonte de grande bênção às nações.

Que o Senhor esteja abençoando você menina, adolescente, mulher de qualquer idade, e te faça uma bênção para que o nome dEle, seja levado até os confins da Terra.

Rubens

(referências em http://www.uiecb.com.br/mulher.htm)


Próxima página