Make your own free website on Tripod.com
Jornal nº 0006 - Ano I - Fevereiro/2003

@lcançando o mundo

MORTE E DESALOJAMENTO NA NIGÉRIA

Sete pessoas morreram e cinco outras sofreram ferimentos em um conflito entre nômades muçulmanos e camponeses cristãos em Dalwa e Molai, vilarejos do Estado de Borno, no norte da Nigéria. A violência de 13 de dezembro resultou na destruição de casas, alimentos, colheitas e gado.

Azubuko Udah, comissário de polícia do Estado de Borno, disse que uma profunda tensão religiosa deu início ao distúrbio.

"O ódio religioso tornou-se agora um quadro comum nas comunidades do nosso país", disse Udah à Portas Abertas em Maiduguri. "Qualquer pequeno mal entendido é agora visto à luz da religião. Isso tem contribuído muito para as numerosas crises religiosas que temos testemunhado no país".

De acordo com Udah, muçulmanos nômades deixaram o seu gado vagar pelos campos dos camponeses cristãos, destruindo suas colheitas. "Isso disparou a tensão religiosa que já existia entre as duas comunidades", disse o comissário.

A polícia de Borno está vigiando a área para reduzir o alastramento da violência. Entretanto, centenas de cristãos da área fugiram para outras partes do Estado com medo de retaliação dos muçulmanos.

Julgamentos

No dia 5 de janeiro, o governador de Plateau, Joshua Dariye revelou em uma entrevista à imprensa em Abuja, capital federal da Nigéria que 450 pessoas estão sendo julgadas em vários tribunais da cidade de Jos, Estado de Plateau, acusadas de dar início a distúrbios religiosos.

"Essas pessoas foram detidas pela ligação com a quantidade de choques religiosos que abalaram o Estado em suas imediações ultimamente", disse Dariye.

O governador nomeou uma comissão com representantes de departamentos do Ministério da Justiça, do Judiciário e da Polícia para garantir que a justiça não seja "adiada, negada ou mal feita" nos casos pendentes. Dariye disse que mais de 60 reuniões pela paz foram realizadas entre oficiais do governo e líderes muçulmanos e cristãos num esforço para encontrar uma solução duradoura para o conflito religioso, mas até agora nada teve sucesso.

Qualquer pessoa pode se tornar um refugiado

O conflito religioso na Nigéria forçou quase 250.000 pessoas a procurarem campos de refugiados, de acordo com Igna Gabriel, Comissário Federal para Refugiados da Nigéria. Gabriel apelou por apoio para possibilitar a comissão atender as necessidades dos desalojados. Ele disse que o conflito muçulmano-cristão havia forçado cerca de 26.000 nigerianos a fugirem para a vizinha República dos Camarões.

Gabriel calcula que a comissão de refugiados precise de 50 milhões de dólares para ajuda humanitária aos refugiados internos do país, a maioria dos quais é de cristãos.

Ele afirmou que o cuidado aos refugiados tornou-se uma tarefa difícil porque a Comissão para Refugiados das Nações Unidas retirou as contribuições para alimento e cuidados médicos.

"Todos são refugiados em potencial", disse Gabriel. "Em situação de crise, médicos, advogados, engenheiros ou outras pessoas qualificadas podem ser forçadas a ir para um campo de refugiados". (http://www.injesus.com.br)

Não durma no ponto! Ore pelo povo de Deus na Nigéria.


Página Anterior

Próxima página